Sobre a Revista

O periódico Cadernos de Pesquisa Direito Internacional sem Fronteiras (eISSN 2675-3200) é uma publicação semestral com trabalhos desenvolvidos pelos pesquisadores voluntários do Portal Direito Internacional sem Fronteiras. Nessa perspectiva, o periódico publicará artigos, estudos técnicos e relatórios dos Projetos Integradores, dos Grupos Permanentes e das demais atividades dos pesquisadores no Direito Internacional sem Fronteiras. Nesse sentido, a missão do periódico é disponibilizar os pensamentos e expressões cientificas atualizadas, tornando-se uma das fontes relevantes de pesquisas para profissionais e estudantes das áreas relacionadas.

As publicações serão vinculadas em Dossiês correspondentes as linhas de estudo e pesquisa do Portal Direito Internacional sem Fronteiras. Outras informações podem ser encontradas em em nosso sitío eletrônico

O acesso a qualquer conteúdo dos Cadernos de Pesquisa Direito Internacional sem Fronteiras (eISSN 2675-3200)é livre a todos os usuários. Todo o material existente nas publicações dos Cadernos pode ser livremente copiado, compartilhado e reproduzido, desde que seja respeitada a integridade do conteúdo (sem modificações) e que o uso se destine a fins não comerciais, especificadas a fonte e a autoria – o periódico Cadernos de Pesquisa Direito Internacional sem Fronteiras (eISSN 2675-3200) está licensidado sob uma Licença Criative Commons. 

Edição Atual

O COMITÊ DOS DIREITOS DA CRIANÇA DA ONU E O MONITORAMENTO DO ACESSO A SANEAMENTO AMBIENTAL, ÁGUA POTÁVEL E HIGIENE
					Visualizar O COMITÊ DOS DIREITOS DA CRIANÇA DA ONU E O MONITORAMENTO DO ACESSO A SANEAMENTO AMBIENTAL, ÁGUA POTÁVEL E HIGIENE

O presente artigo visa analisar o impacto da atuação do Comitê dos Direitos da Criança no monitoramento da efetivação dos direitos a saneamento ambiental, água potável e higiene determinados na Convenção sobre os Direitos da Criança, dando destaque aos Estados-parte Camboja, Haiti, Iêmen, Índia, Lesoto e Mauritânia. O objetivo da pesquisa foi, por meio da leitura de relatórios periódicos, examinar a atuação dos referidos países diante das recomendações feitas pelo Comitê e, por fim, realizar uma análise crítica acerca do assunto. Constatou-se que há uma preocupação recíproca entre a maioria dos Estados e o Comitê acerca do direito a saúde da criança, no entanto, foram detectadas omissões de ambas as partes.

Publicado: 2020-11-10
Ver Todas as Edições